Sunday, November 19, 2006

Não digas que eu não estava à janela,
que não foi para ti o que não viste.
Há tanta coisa que não sabes, não digas.
Um dia ver-me-ás à janela de ontem
com a roupa que hei-de vestir amanhã.
Até lá pensa que me sonhaste. Nem eu mesma sei
o que fiz nesse dia. Mas a janela guarda os meus dedos
como tu me guardas. O tempo é uma invenção recente.
Era uma vez essa mulher que viste. Retira o vidro,
a moldura, e não te esqueças de abrir o horizonte.


Rosa Alice Branco



Photobucket - Video and Image Hosting

3 comments:

[m.m. botelho] said...

Este blog consegue até a proeza de andar à frente do tempo.

lebredoarrozal said...

hehehe!!
é um milagre do santo blogger:)

[m.m. botelho] said...

;)