Tuesday, June 10, 2008

Sonhei-te lentamente,
em plena consciência do disfarce.
Sabia-te irreal,
mas o sonho restava devagar.
Com pormenores tão lentos

que o tempo me sobrava de pensar.
Sentei-me ao pé de ti,
junto ao meu sonho, e pude ler indícios,
os símbolos que queria
estavam lá. Sonhei-te porque sim:

a confusão existe no real.




Ana Luísa Amaral



Photobucket

3 comments:

Lt said...

demasiado bom (se isso existisse).

lebredoarrozal said...

o bom nunca é demasiado:)

alex said...

sonhei-te porque sim
:)