Monday, March 24, 2008

tradução caseira da lebre


faço a minha cabeça, como costumava
de um saco de papel,
puxo-o até ao colarinho

desenho olhos à volta dos meus olhos
com picos roxos e verdes
para mostrar surpresa,
um nariz com forma de polegar

uma boca à volta da minha boca
esboçada pelo toque, e depois colorida
a vermelho mortiço.

com esta cabeça nova, o corpo
esticado como uma meia e exausto
poderia dançar outra vez; e se eu fizesse
uma língua, eu poderia cantar

um lençol velho e é Halloween;
mas porque é que pior ou mais assustadora
esta cara de cabeça de alfinete
de cabelo quadrado e sem queixo?

como um idiota, não tem passado
e está sempre a entrar no futuro
através das frestas de olhos, miope
e às apalpadelas com o seu grande sorriso,
um tentáculo de eterna felicidade

cabeça de papel, prefiro-te
por causa do teu vazio;
de dentro de ti qualquer
palavra ainda pode ser dita.

contigo eu poderia ter
mais do que uma pele,
um interior em branco, um reportório
de histórias por contar.
Um novo começo.


Margaret Atwood



Photobucket

3 comments:

menina tóxica said...

não me canso de te agradecer menina lebr por estas traduções lindas. obrigada :)

Sofia said...

Muito belo. Posso saber de que obra foi extraído?
Já agora...o texto anterior, do Beckett, é de que livro?

menina limão said...

encontraste uma imagem condizente e tudo...és a maior. o poema é brutal.