Tuesday, September 16, 2008

Duas linhas de amor,
a minha escrita
a falhar contra o vento
Antes de tudo, igual a tudo,
os fantasmas persistem,
sonolentos
Noite após noite,
abandonam o quarto em acalmia
e trocam de vestido
Põem de lado o branco
o sol,
e de negro enfeitados
para na noite
de novo proceder ao massacre
Até à madrugada,
quando o sono: mais forte
e esse lado do espelho
os acolhe outra vez




Ana Luísa Amaral



Photobucket

2 comments:

Frioleiras said...

muito belo e... muito triste


(porquê?...)

lebredoarrozal said...

(se calhar gosto de coisas tristes)